22 de dez de 2014

Globo esconde entrevista de Dilma e G1 a atribui a jornal chileno


"Entrevista da presidente a editores da América Latina foi publicada ontem pelo jornal do Rio, mas foi tão bem escondida que o próprio portal da Globo, o G1, reproduziu a versão do jornal "El Mercurio", do Chile, e não de seu parceiro no Brasil

Brasil 247

A entrevista da presidente Dilma Rousseff concedida a editores de jornais da América Latina foi tão bem escondida pelo Globo, na edição deste domingo 21, que nem mesmo seu parceiro, o portal G1, do mesmo grupo, a reproduziu.
As respostas de Dilma a vários jornais do continente foram publicadas na página 42 do jornal O Globo, a quinta do caderno 'Mundo'.

Por volta do meio-dia, ela foi reproduzida pelo portal G1 como sendo uma publicação de um jornal chileno. "'El Mercurio', do Chile, publicou entrevista com presidente neste domingo", diz a chamada da matéria no site.

E o primeiro parágrafo: "A presidente Dilma Rousseff afirmou em entrevista ao Grupo de Diários América (GDA), publicada neste domingo (22) pelo jornal 'El Mercurio', do Chile, que o Brasil não vive 'crise de corrupção'".

21 de dez de 2014

A história do prefeito que roubava


Miguel do Rosário, Tijolaço  

"Coxinhas são engraçados.

O PSDB é o campeão brasileiro de ficha-suja, segundo o TSE.

A privataria tucana não apenas foi o maior escândalo de corrupção da nossa história. Foi entrega de soberania.

Botaram até tanques de guerra na Praça XV, para poderem vender a Vale a preço vil.

20 de dez de 2014

Vox Populi confirma o que a urna já disse: o povo não é bobo


Miguel do Rosário, Tijolaço  

Marcos Coimbra, em artigo para a Carta Capital, analisa a pesquisa realizada pelo instituto dirigido por ele, Vox Populi, sobre o escândalo da Petrobrás.
A pesquisa revela o estrondoso fracasso da mídia em colar uma estrela do PT na corrupção da estatal.

Após identificar que a grande maioria (86%), sem variação significativa segundo nível de escolaridade, conhece o escândalo da Petrobrás, a pesquisa sondou a quem os entrevistados responsabilizam pelos mal feitos.
Destaco os seguintes trechos:

Quase 70% acha que “as irregularidades na Petrobras vêm de antes do PT (chegar ao governo federal)”.

19 de dez de 2014

Na “lista da propina”, falta dinheiro, ou faltam políticos ou falta verdade


Fernando Brito, Tijolaço  

"Muito estranha a lista dos beneficiários de dinheiro de empreiteiras que trabalhavam para a Petrobras, divulgada hoje pelo Estadão.

Dois valores citados, chega-se á conclusão que os maiores foram para políticos de oposição, em valores que, de forma alguma, poderia ser confundidos com doações eleitorais: Eduardo Campos (R$ 20 milhões) e Sérgio Guerra (R$ 10 milhões).

Supõe-se que, embora hoje ambos estejam mortos, Costa tem os meios de demonstrar como e por que meios foram feitos os repasses.

Aliás, o mesmo deve se aplicar àqueles que, diz o jornal, “segundo o ex-diretor de Abastecimento, recebiam repasses com frequência ou valores que chegaram a superar R$ 1 milhão”.

18 de dez de 2014

Tucanos culpam o morto no PSDB e os vivos no PT


"Oposição propõe investigação contra o ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, falecido em março desse ano, em relatório paralelo da CPMI da Petrobras apresentado hoje; segundo o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, o tucano teria solicitado R$ 10 milhões a ele em 2010; dinheiro teria sido pago pela construtora Queiroz Galvão; antes de mencionar o nome de 36 pessoas, o documento elaborado pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) pede que voto em separado seja encaminhado ao MP "a fim de que sejam instaurados os competentes inquéritos policiais"; PSDB pede o indiciamento de outros 58 nomes, além da presidente da Petrobras, Graça Foster; e investigação da responsabilidade da presidente Dilma

Brasil 247

No relatório paralelo da CPMI da Petrobras apresentado nesta quarta-feira 17, o PSDB citou o nome de um tucano. Trata-se de Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, acusado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, em depoimento, de ter pedido a ele R$ 10 milhões em 2010. O dinheiro, segundo Costa, teria sido pago pela Queiroz Galvão, uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato.

17 de dez de 2014

Os EUA sabem onde podem levar a Rússia?


Fernando Brito, Tijolaço  

"Nenhum preço cai 40% em menos de três meses sem um intervenção política coordenada de interesses muito poderosos.

Subir, até pode, com um desastre, a eclosão de um conflito, mas não cair, ainda mais se é uma minoria que o produz em  grande quantidade.

E é exatamente isso que está acontecendo com o preço do petróleo, que desabou de 100 dólares o barril para menos de 60, proporção idêntica à queda do gás natural.

O nível absoluto de controle dos Estados Unidos no Oriente Médio e a política de redução das importações ( que hoje anda nos 5 milhões de barris diários, o mesmo nível de 40 anos atrás e a metade do que importavam antes da crise de 2008) permitiram a mais ousada manobra norte-americana contra seus adversários políticos.

16 de dez de 2014

SP pode ter tarifa de ônibus zero para estudante pobre


"Pela primeira vez, Prefeitura da capital paulista estuda criar três tipos de tarifa: aluno de baixa renda não pagaria nada e quem usa bilhete único continua a pagar R$ 3; aumento seria só para quem paga a passagem em dinheiro; expectativa do prefeito Fernando Haddad (PT) é que decisão seja tomada ainda nesse ano

Brasil 247

A Prefeitura de São Paulo pode instituir, pela primeira vez, três tipos diferentes de tarifa no transporte coletivo. A gestão de Fernando Haddad (PT) estuda implantar tarifa zero para os estudantes de baixa renda, os usuários do bilhete único continuariam a pagar R$ 3 e quem paga em dinheiro sofreria aumento da tarifa.

A expectativa é que a decisão seja tomada ainda nesse ano. A ideia de anunciar os benefícios juntamente com o reajuste da tarifa surgiu depois que foi realizada a auditoria das contas do sistema de transporte municipal pela empresa Ernst&Young, na semana passada.

A avaliação da prefeitura, após a auditoria, é de que o lucro das empresas de ônibus pode ser diminuído a partir do próximo ano. A expectativa era de que esse lucro estava em cerca de 30%, mas a auditoria revelou que o índice é de 18%. Mesmo assim, o plano é reduzir a remuneração das companhias para cerca de 7%."

15 de dez de 2014

PSDB e Serra tomam um banho de Lava Jato

543eef0ca47f5_992

Miguel do Rosário, Tijolaço  

"Está cada vez mais difícil para o PSDB fingir que não tem nada a ver com o escândalo das empreiteiras.

Governando o estado mais rico do país há mais de 20 anos, onde estão sediadas a maioria das empreiteiras investigadas na operação Lava Jato, os tucanos construíram relações políticas nada republicanas com estas empresas.
Igualmente está cada vez mais difícil, para a mídia, recortar a corrupção que envolve Petrobras e empreiteiras a um caso isolado.

Não é. As empreiteiras capturadas nos esquemas da Lava Jato são responsáveis por todas as obras públicas no país.

E provavelmente há corrupção em toda parte.

14 de dez de 2014

TV na internet: a Globo vai morrer gorda


"O celular vai matar a tevê paga, que morre antes de nascer no Brasil .

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

Saiu na Fel-lha (no ABC), de Nelson de Sá:
Daqui a um mês, quando as comediantes Tina Fey e Amy Poehler apresentarem a entrega do Globo de Ouro – http://pt.wikipedia.org/wiki/Pr%C3%AAmios_Globo_de_Ouro – , a disputa pelo ambicionado prêmio de melhor série de comédia ou musical terá frente a frente, pela primeira vez, dois gigantes de tecnologia: Netflix, com “Orange is the New Black”, e Amazon, com “Transparent”, ambos distribuídos sob demanda via internet.

13 de dez de 2014

O “triplex” de Lula era “umplex”. E nem foi entregue…


Fernando Brito, Tijolaço  

Muita gente entrou na polêmica sobre o tal apartamento “triplex” que Lula teria comprado no Guarujá.

Fiquei quieto, porque achei a coisa meio estranha.

Três apartamentos em um, com elevador interno, e o escambau.

Avaliado de “por algo entre R$ 1,5 milhão e R$ 1,8 milhão” pelas Organizações Globo, acho até que Lula tinha o direito de comprar, porque são três apartamentos de R$ 500 a 600 mil, o que em nada é diferente de um apartamento na praia.

É menos do que vale aquele em que morava minha mãe, em Vila Isabel, no Rio, a muitos quilômetros da praia e sem nenhum luxo. Nem uma piscininha ou playground para os netos.

Veja!