31 de jul de 2015

Catta Preta rompe silêncio: delator ‘apresentou provas’ da propina para Eduardo Cunha


"A advogada Beatriz Catta Preta deu uma entrevista ao Jornal Nacional a respeito de sua decisão de abandonar a defesa de seus clientes na operação Lava Jato.

Do DCM

(Aqui, o vídeo.)

Há algumas semanas, a CPI da Petrobras decidiu convocá-la para prestar esclarecimentos sobre a origem de seus honorários. O requerimento foi apresentado pelo deputado Celso Pansera, do PMDB, acusado pelo doleiro Alberto Yousseff de  ser “pau-mandado” do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Ao JN, Catta Preta desmentiu as notícias de que foi para Miami. “Saí de férias. Nunca cogitei sair do país, como estão dizendo na imprensa”, afirma.

O motivo: “Zelar pela segurança da minha família, dos meus filhos. Não recebi ameaças diretas. Elas vêm de forma cifrada, elas vêm veladas”.

30 de jul de 2015

Quem falsificou os extratos de Romário? A Veja, o MP, a PF?

Fernando Brito, Tijolaço 

"Gravíssima, apesar da ironia com que Romário a está tratando, esta situação criada pela denúncia da revista Veja de que o senador tinha uma conta oculta com R$ 7,5 milhões em Genebra, na Suíça.De lá, Romário informa que, reunido com advogados do Banco BSI, foi informado que os extratos apresentados pela revista “são falsos”.

Se são, quem os falsificou?

A revista, que o publicou?

O Ministério Público, em posse de quem a Veja diz estar o extrato reproduzido por ela?

A Polícia Federal? A Interpol?

29 de jul de 2015

Os eleitos de Deus para livrar o Brasil de todo o mal. Nem que seja com fogueira


Fernando Brito, Tijolaço 

"O coordenador do Ministério Público na Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, como noticiou a Folha, fez ontem uma pregação numa igreja evangélica defendendo a antecipação de penas e outros agravamentos para os que, segundo a ótica do MP, estiverem envolvidos em corrupção.

Nem vou falar da impropriedade de fazer este tipo de campanha num púlpito de igreja, muito menos do absurdo  de dizer que ” acredita que “Deus colabora com a Lava Jato” (segundo o repórter Bernardo Mello Franco), ou que misturar religião e sistema judicial e suas penas, ao que eu saiba, deu na Inquisição e suas fogueiras.

Chamo atenção para outro aspecto.

28 de jul de 2015

Tucanos, enfim, assumem “impitimismo” ao lado de Cunha e vão convocar ato “coxinha”na TV


Fernando Brito, Tijolaço 

"No mesmo dia, Eduardo Cunha e o PSDB assumem abertamente, sem rebuços, que trabalham pelo “impeachment” da presidenta eleita pelo voto dos brasileiros e que não tem contra si nem sombra do crime de responsabilidade que, legalmente,  para isso se exigiria, um vez que o impedimento de uma presidente não pode ser resultado, simplesmente, de uma maioria parlamentar da oposição.

Cunha, ameaçado com o inevitável desfecho com seu indiciamento por corrupção, ao menos está lutando por sua própria sobrevivência.

Aécio, com o aval de FHC, parece lutar para jamais ser visto com tamanho maior que o de um irresponsável, aliás, coadjuvante dos Kim Kataguiri ou do Revoltado Online Marcelo Reis. Ah, sim, agora com o imprescindível apoio do PSTU que, quem sabe, vai dividir o palanque com Jair Bolsonaro.

27 de jul de 2015

Protestos anticorrupção vão poupar Cunha


"Não vamos para cima do Cunha no dia 16. Ele tem um papel importante. Nosso foco é o impeachment”, afirma Carla Zambelli, líder do Nas Ruas e porta-voz da Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos; presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), rompeu com o governo após acusação na Lava Jato de ter recebido US$ 5 milhões de propina; desde então, ele abriu caminho para votar 12 processos em tramitação que pedem o afastamento da presidente Dilma Rousseff 

Brasil 247

As manifestações contra a corrupção previstas para o dia 16 de agosto vão deixar de fora o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB). Cunha rompeu com o governo após acusação na Lava Jato de ter recebido US$ 5 milhões de propina. Desde então, ele abriu caminho para votar 12 processos em tramitação que pedem o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

“Não vamos para cima do Cunha no dia 16. Ele tem um papel importante. Nosso foco é o impeachment”, afirma Carla Zambelli, líder do Nas Ruas e porta-voz da Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos, em entrevista ao ‘Estado de S. Paulo’.

“Amigos, no dia 16 de agosto vamos voltar às ruas não mais para protestar.
 Agora vamos pedir o impeachment de Dilma, responsável maior por um governo corrupto, mentiroso e incompetente”, postou no Facebook o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), líder do PSDB na Câmara, convocando o golpismo nas ruas (leia mais)."

26 de jul de 2015

Cunha perde apoio da oposição e fica isolado


"Defesa pública ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), após a denúncia da Lava Jato de que recebeu US$ 5 milhões em propina, se resume ao Solidariedade, partido do deputado Paulinho da Força; reação é significativamente diferente da de março, quando o STF listou Cunha como um dos suspeitos de ter participado do esquema, e quando foi defendido com fervor pela oposição e até por integrantes do PT; o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), o líder do PSB, Júlio Delgado (MG), e o líder do DEM, Mendonça Filho (PE), que acreditaram na inocência de Cunha meses atrás, hoje defendem que todas as denúncias têm que ser investigadas

Brasil 247

Integrantes da oposição que, em março, defenderam o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com fervor quando seu nome apareceu na lista do STF de supostos envolvidos no esquema de corrupção da Operação Lava Jato hoje não demonstram a mesma posição.

A defesa pública ao comandante da Casa se resume ao Solidariedade, partido do deputado Paulinho da Força (SP), como mostra reportagem dos jornalistas Ranier Bragon e Aguirre Talento na Folha de S. Paulo.

25 de jul de 2015

Marcelo Odebrecht esteve com Serra no escritório da filha Verônica


Do Jornal GGN

"O leitor André Nunes passou a dica para contornar as tarjas pretas no relatório da Polícia Federal sobre as anotações no telefone de Marcelo Odebrecht. O GGN publicou então a informação de que as iniciais JS referiam-se a José Serra. Outros trechos do relatório continuavam ocultos (leia aqui).
 
Dois outros leitores, Edson Marcon e Domingos Matos seguiram a dica e completaram a limpeza do relatório.

A maior parte das tarjas visava resguardar endereços e telefones de interlocutores. Em alguns casos, ocultaram o agendamento de reuniões e, principalmente, os locais e horários delas.

24 de jul de 2015

O que há debaixo das “tarjas brancas” do texto da Odebrecht ? A conversa com a Folha que “só vale para mandar recados”


Fernando Brito, Tijolaço 

O leitor CM fez o mesmo que Stanley Burburinho, que identificou o autor das “tarjas pretas” com que a Polícia Federal (ou o Estadão) ocultaram alguns nomes – e divulgaram outros – nos textos de e-mail contidos nos celulares do empresário Marcelo Odebrecht.

Desta vez, porém, tirou as tarjas brancas que apagam, no arquivo divulgado pelo Estadão, os trechos das páginas 23,24 e parte da 25 do relatório da Polícia Federal – arquivo do jornal aqui –  e nos permite saber do que elas tratam.
Mas o amigo leitor teve um trabalho que qualquer um pode fazer, sem qualquer conhecimento maior de informática.

23 de jul de 2015

Estado sugere que Serra pode vir a ser investigado


"Acusado na internet de ter colocado tarjas pretas sobre o nome do senador José Serra (PSDB-SP) no relatório sobre as mensagens apreendidas no celular de Marcelo Odebrecht, o jornal Estado de S. Paulo se defendeu, nesta quinta-feira, alegando que a censura foi feita pela própria Polícia Federal, e não pela publicação, com o intento de preservar investigações; numa das mensagens, Marcelo falava em "adiantar 15 p/JS"; de acordo com o Estado de S. Paulo, nomes de outros políticos com foro privilegiado, como Michel Temer e Geraldo Alckmin, não foram protegidos com tarjas pretas porque ambos tiveram reuniões formais e previstas na agenda com o empreiteiro; Serra disse não saber do que trata a anotação de Odebrecht; no Twitter, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) ironizou a tarja preta sobre Serra

Brasil 247

O jornal Estado de S. Paulo, que foi acusado na internet de ter colocado tarjas pretas sobre o nome do senador José Serra (PSDB-SP) no relatório sobre as mensagens apreendidas no celular de Marcelo Odebrecht (leia mais aqui), publicou, nesta quinta-feira, sua versão para a história.

22 de jul de 2015

Procurador anti-Lula será investigado pelo CNMP


"Conselho Nacional do Ministério Público instaurou procedimento disciplinar contra o procurador da República Valtan Timbó Mendes Furtado, acusado pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ter interferido na apuração preliminar sobre o suposto tráfico de influência em favor da Odebrecht; ele já responde por outro procedimento disciplinar por não ter dado andamento a 245 procedimentos que estavam sob a sua responsabilidade

Por Livia Scocuglia, Consultor Jurídico

O Conselho Nacional do Ministério Público instaurou procedimento disciplinar contra o procurador da República Valtan Timbó Mendes Furtado. Ele é acusado pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ter interferido na apuração preliminar sobre o suposto tráfico de influência em favor da Odebrecht. Para a defesa de Lula, houve desvio de função.

Veja!

Postagens Populares