02/09/2014

Firma de vigilância bancou jato; PSB se diz "alheio"


"Empresa apontada como pagadora oficial das despesas operacionais do avião usado pelos candidatos do PSB à Presidência, Eduardo Campos e Marina Silva, funciona em casa da periferia de São Lourenço da Mata (PE); dono sinaliza que foi usado como laranja; PSB não comenta assunto e diz que uso da aeronave foi autorizado pelos empresários João Carlos Lyra e Apolo Santana, investigado pela PF; em nota, partido afirma que ficou “alheio às negociações”

Brasil 247

O jato Cessna que caiu em Santos com a comitiva do PSB a bordo tem dono fantasma. No entanto, a empresa apontada como pagadora oficial das despesas operacionais do avião usado pelos candidatos do PSB à Presidência, Eduardo Campos e Marina Silva, é a Lopes & Galvão Ltda.

A firma de vigilância, que não é cadastrada, funciona em uma casa simples da periferia de São Lourenço da Mata (PE) e aparece como pagadora de serviços de parqueamento e atendimento para a aeronave PR-AFA. O gasto mensal foi avaliado em R$ 30 mil.

01/09/2014

Beto anuncia tática black bloc no governo Marina


"O deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) fez, neste domingo, a declaração mais grave de toda a campanha eleitoral; afirmou que a ex-senadora Marina Silva não deve se preocupar com a ausência de base parlamentar no Congresso porque irá governar "com a força das ruas"; em seguida, anunciou o cerco ao Poder Legislativo: "Depois de eleger Marina, temos de ir para as ruas dar a ela a cobertura para que possa exigir do Congresso as mudanças necessárias ao país"; será que Beto pretende convocar para Brasília novas manifestações, como as que depredaram o Congresso e o Itamaraty em junho do ano passado?; será que vale também depredar agências e caixas eletrônicos do Itaú, de Neca Setúbal?; coincidência ou não, o "black bloc" Caetano Veloso foi um dos primeiros a marinar; no entanto, os outros dois presidentes que decidiram peitar o Congresso, Jânio Quadros e Fernando Collor, não terminaram seus mandatos

Brasil 247

Para quem ainda considera exagerada a comparação entre Marina Silva e os ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor, que foram eleitos prometendo uma nova política e caíram porque não tinham base parlamentar, vale a pena prestar atenção ao significado das palavras ditas, neste fim de semana, pelo deputado Beto Albuquerque (PSB-RS). Vice na chapa de Marina, ele afirmou que Marina irá governar "com a força das ruas", minimizando o fato de sua candidata não possuir nenhuma articulação política consistente.

31/08/2014

Parecer de Janot detona desculpas do “recibos no final”. A lei é clara: recibo tem de ser imediato


Fernando Brito, Tijolaço  

 "Embora eu entenda que, hoje, todos estão chocados com a chantagem explícita feita pelo senhor Silas Malafaia, que obrigou a candidata Marina Silva a mudar seu programa de governo um dia depois de divulgado oficialmente, num espetáculo de servilismo e humilhação que jamais pensei em ver em um candidato, penso que há outra questão que compromete já não do ponto de vista moral, mas aos olhos da lei. Refiro-me às desculpas que vem sendo usadas pelo PSB para explicar o avião que empresários teriam “doado” para que ela e Eduardo Campos fizessem campanha.

Embora a fundamentação do Procurador Geral da República esteja calcada nos termos da lei com os quais este blog explicou as ilegalidades da operação, há algo que me passou e que o procurador levanta logo ao início das conclusões de seu parecer, e é de fundamental importância.

É o artigo 10 da Resolução 23.406, do Tribunal Superior Eleitoral:
Art. 10.  Deverá ser emitido recibo eleitoral de toda e qualquer arrecadação de recursos para a campanha eleitoral, financeiros ou estimáveis em dinheiro, inclusive quando se tratar de recursos próprios.

30/08/2014

Serra entra na lista de investigados da Polícia Federal sobre cartel dos trens

Jornal GGN 

"José Serra (PSDB), ex-governador de São Paulo e candidato ao Senado nas eleições deste ano, é um dos 29 nomes citados pela Polícia Federal na investigação sobre fraude em licitações e pagamento de propina envolvendo obras do Metrô e da CPTM (Companhia de Trens Metropolitanos), no Estado, durante os governos Mário Covas, Serra e Geraldo Alckmin.

A Polícia Federal já intimou o tucano a prestar esclarecimentos no dia 7 de outubro, dois dias após a conclusão do primeiro turno das eleições. O delegado Milton Fornazari Junior, que preside o inquérito sobre suposto conluio de multinacionais, foi o responsável por listass 28 investigados no processo, que inclui dirigentes das empresas envolvidas no escândalo, além de ex-diretores da CPTM e do Metrô. Essa é a primeira vez que a corporação rotula Serra dessa forma.

Serra governou São Paulo entre 2007 e 2010. Segundo apurações do Cade, o cartel atuou entre 1998 e 2008. A Polícia Federal intimou o tucano com base em informações de Nelson Marchetti, ex-executivo da Siemens, que sugeriu que o ex-governador atuou para favorecer uma empresa espanhola na concorrência internacional para compra de 384 carros pela CPTM. As informações foram publicadas no Estadão, nesta sexta (29).

A equipe de campanha de Serra disse ao jornal que "estranha" a citação do nome dele no inquérito, sobretudo porque o Ministério Público do Estado promoveu investigações e arquivou o inquérito "por não encontrar nenhuma irregularidade ligada" a Serra. Para a assessoria do tucano, o "vazamento do inquérito neste período eleitoral revela apenas motivação política para se produzir notícias artificialmente”.

Essa semana, comentando a intimação para depor, Serra disse que considera "super comum" a existência de cartel. Segundo ele, a articulação entre empresários de diversos setores acontece naturalmente e pode ter ocorrido, também, no transporte paulista. (Leia mais)"

29/08/2014

Beto: 'compra do avião não é problema do PSB'


"Isso está bastante claro. A compra do avião não é um problema nosso. Deve-se buscar os proprietários, que têm nome, sobrenome e endereço. Os custos [do uso do avião] serão lançados na prestação de contas do Eduardo Campos", afirmou o deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS), tentando blindar a candidatura de Marina Silva da polêmica sobre o jato fantasma; quanto ao incentivo dado pelo então governador de Pernambuco a empresa envolvida no caso, disse:"Nós estamos em 2014, o benefício foi em 2011. Fazer um link entre os casos pode ser ilação"

Brasil 247

Vice na chapa de Marina Silva à Presidência, o deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS) disse nesta quinta-feira (28) que a suspeitas envolvendo o avião que caiu em Santos com o comitê de Eduardo Campos "não são problema" do partido.

"Isso está bastante claro. A compra do avião não é um problema nosso. Deve-se buscar os proprietários, que têm nome, sobrenome e endereço. Os custos [do uso do avião] serão lançados na prestação de contas do Eduardo Campos", afirmou após visita à Fenasucro (evento do setor sucroenergético).

Beto assumiu a dianteira do caso, blindando a candidata Marina Silva da polêmica do jato fantasma.

Quanto ao incentivo que o então governador de Pernambuco deu a empresa envolvida na compra do avião, ele tentou minimizar:

"Nenhum governo está proibido de dar incentivo fiscal para qualquer setor. Nós estamos em 2014, o benefício foi em 2011. Fazer um link entre os casos pode ser ilação."

28/08/2014

As primeiras imagens de Marina no jato do caixa 2


"Nas cenas, ela aparece desembarcando, ao lado de Eduardo Campos, do PR-AFA, que desabou em Santos (SP), matando o ex-governador e outras seis pessoas; uso da aeronave constitui crime eleitoral, uma vez que o jato, além de não registrado como táxi aéreo, foi cedido a Campos numa escabrosa transação com o uso de laranjas e caixa dois; ontem, no Jornal Nacional, Marina disse que "não sabia" quais eram as condições reais do jato e comprou a versão do PSB, sobre empréstimo que seria pago no fim da campanha

Brasil 247

As imagens acima são as primeiras que conectam a ex-senadora Marina Silva ao jato PR-AFA, que desabou em Santos há 15 dias, matando o ex-governador Eduardo Campos e outras seis pessoas.
 
A aeronave pertencia ao grupo AF Andrade, de usinas falidas de etanol em São Paulo, e foi repassada a amigos de Eduardo Campos, que assumiram o pagamento de parcelas pendentes do leasing. Para isso, montaram um escabrosa operação financeira, com o uso de laranjas. O principal pagamento veio de Eduardo Ventola, dono, em Recife, de uma factoring, tipo de empresa normalmente usada para esquentar recursos de caixa dois.

27/08/2014

Globo mostra o canhão a Marina. De volta ao “vamos ver quem manda aqui”


Fernando Brito, Tijolaço

"Mais importante que a pesquisa Ibope no Jornal Nacional de hoje, foi a reportagem sobre os donos do jatinho que matou Eduardo Campos e transformou Marina Silva em sucesso eleitoral.

Fartamente abastecida – como sempre – pela Polícia Federal, a matéria começou a revelar o “laranjal” montado pelo PSB e pelos empresários amigos de Campos, para “comprar” o jato que acabaria por matar o candidato.

Até um peixeiro do Recife foi usado como “bucha” na transação.

O JN adiantou a pauta “malvada” da entrevista de Marina Silva, amanhã.
E nem mesmo citou o outro “megabucha” da compra do avião, Apolo Santana, processado por contrabando.

Vale a pena ler a matéria e ver o potencial explosivo do caso. E, querendo assistir em vídeo, clique aqui.

É impressionante.

Marina terá 24 horas para explicar ou, como é mais provável, dizer que não tem nada com isso.

26/08/2014

PSB debocha do País: documento estava no avião


"O deputado Marcio França (PSB/SP), que é também tesoureiro da campanha presidencial, escancarou, nesta segunda-feira, a falta de argumentos do PSB para justificar como o partido utilizou um avião fantasma, que não tem dono declarado, nos voos da dupla Eduardo Campos e Marina Silva; "Documento de avião você carrega no avião. Se estava no avião, já não existe mais", afirmou; ele também insinuou que a candidata Marina Silva não prestará esclarecimentos; "Responder ela tem que responder, no limite da responsabilidade dela"; pelo jeito, no que depender do PSB, as vítimas do acidente em Santos (SP) e os colaboradores de Eduardo Campos que morreram no acidente ficarão a ver navios; um escárnio

Brasil 247

O PSB, aparentemente, decidiu debochar da sociedade brasileira. Nesta segunda, quando foi questionado sobre o avião fantasma utilizado por Eduardo Campos e Marina Silva, o deputado Márcio França (PSB/SP) escancarou a falta de argumentos para defender o que parece ser indefensável. "Documento de avião você carrega no avião. Se estava no avião, já não existem mais", afirmou.
 
Isso indica que a estratégia do PSB parece a ser a de varrer o assunto para debaixo do tapete. Explica-se: caso não consiga demonstrar de quem é o avião e como ele era pago pela campanha, o partido estará sujeito à impugnação de sua candidatura.

25/08/2014

Marina abre 10 pontos de Aécio e fica a 8 de Dilma


Renato Rovai, Blog do Rovai

"Muita informação tem circulado apontando todo tipo de resultado na corrida presidencial. Este blogue conversou com gente de diferentes partidos políticos e chegou a uma pesquisa que parece a mais confiável. E que todos os que foram ouvidos sabiam ter sido realizada de fato. Dilma teria 36%, Marina, 28% e Aécio, 18%.

Marina já teria ultrapassado Dilma em São Paulo e no Rio, onde estaria em situação de empate técnico. Além disso, venceria com folga n0 DF.
Na classe média, ela teria aberto uma frente bastante razoável dos dois candidatos.

24/08/2014

Tucanos apavorados


Miguel do Rosário, Tijolaço  

O sábado traz um divertido chilique de pavor do Estadão com a possibilidade de Marina Silva tirar o segundo turno do PSDB.

Em editorial intitulado “A candidata impõe medo“, o Estadão externa seu profundo desconforto com a mudança no cenário eleitoral.

Na coluna de hoje de Ilimar Franco, mais informações sobre o terror que vem tomando conta da campanha de Aécio Neves:

A queda de Aécio

O tucano Aécio Neves foi atingido em cheio pela entrada de Marina Silva (PSB) na eleição presidencial. Ela tirou a liderança de Aécio em Minas e assumiu a dianteira em São Paulo. Esses colégios eleitorais são vitais na estratégia de crescimento tucana. Agora, Marina também lidera no Rio, tendo atraído para si o elevado número de indecisos. A presidente Dilma também perde, mas menos. (…) Pesquisas telefônicas feitas por várias campanhas registram essa reviravolta nos estados. Entre os tucanos paulistas, o abatimento é geral."