22/10/2014

Lindsay Lohan declara apoio a Aécio e depois desiste

"Atriz Lindsay Lohan "desiste" de apoiar Aécio Neves e apaga tweets que elogiavam o candidato tucano


A atriz Lindsay Lohan retirou do ar na tarde desta terça-feira (21) o tweet no qual demonstrava apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB) à presidência do Brasil. Coincidentemente, a mensagem foi retirada do ar momentos após ser sugerido que a mensagem era ação da agência de marketing Hollywood TV, que agencia a carreira da atriz.

Mais cedo, através da rede social, a atriz havia escrito: “Eu apoio Aécio Neves! A plataforma dele traz mudanças positivas para o Brasil”.

A mensagem já não aparecia na página pessoal da atriz no Twitter por volta das 16h40 (horário de Brasília). Por outro lado, no mesmo horário ainda era possível ver chamada sobre a mensagem no site oficial da Hollywood TV Brasil, que também destacava o apoio da modelo Naomi Campbell ao candidato tucano.

Em sua mensagem, Lohan colocou a hashtag #HTVBR, abreviação da empresa no mercado. Em coluna publicada em 24 de outubro de 2013, Lauro Jardim, da Veja, afirma que a agência foi trazida ao Brasil por Pedro Assumpção, ex-presidente da GEO Eventos, e cita Lindsay Lohan entre uma de suas artistas produzidas."

21/10/2014

São Paulo tem falta d’água e de informação


Fernando Brito, Tijolaço  

Ontem, finalmente, tanto no programa eleitoral quanto no debate da Record, Dilma Rousseff tocou na questão da seca que atinge São Paulo.

E não há qualquer exagero em dizer isso, porque a pesquisa Datafolha de hoje mostra que já 60% dos paulistanos (e 38% de maneira grave) sofrem com problemas de abastecimento.

Mas se isso é lamentável e angustiante para todos os que vivem em São Paulo e para os de outros Estados que superam o bairrismo tolo de ficar dizendo que “eles merecem” por conta de sua opção pelo governador que – à testa do Estado ou, quando não, junto dos outros poucos tucanos que o comandaram – levou nossa maior metrópole, não se pode esconder que o Governo Federal, até agora, estava deixando os paulistas sem algo tão essencial quanto a água.

20/10/2014

Ministério Público aciona Minas Gerais por corrupção na saúde sob Aécio Neves

Ministério Público move duas ações contra Minas sob Aécio. Em uma, pede o ressarcimento de 1,3 bi, em outra, de 4,3 bi. Montante ultrapassa os R$ 5 bilhões (divulgação)
"Ministério Público protocolou nesta sexta-feira (17) ação contra Minas Gerais por fraude orçamentária na saúde durante a gestão Aécio Neves. Promotores pedem ressarcimento aos cofres públicos de mais de R$ 5 bilhões 


O Ministério Público do Estado de Minas Gerais protocolou na sexta-feira (17) ação contra o governo estadual por uma suposta fraude orçamentária nos gastos na área de saúde entre os anos de 2003 e 2010, época em que o Estado era governado pelo atual senador e candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB). Segundo a ação, o governo promoveu uma maquiagem nas contas da área inserindo R$ 1,3 bilhão em recursos da empresa estatal de saneamento, Copasa, para que fosse atingido o percentual constitucional de 12% a ser investido na área.

19/10/2014

Médico que xingou Dilma também é acusado de bater em mulher; e vota Aécio, claro


Miguel do Rosário, Tijolaço  

O caso é mais grave do que pensávamos. O médico do SUS que xingou Dilma nas redes sociais é funcionário do Hospital Conceição, que integra a maior rede pública de hospitais e postos de saúde do Rio Grande do Sul, e uma das maiores do país.

Copio o texto da seção “Quem Somos” do site oficial do grupo:

“O grupo Conceição, considerado referência no atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), é formado pelos hospitais Conceição, Criança Conceição, Cristo Redentor e Fêmina, além da UPA Moacyr Scliar, de 12 postos de saúde do Serviço de Saúde Comunitária, de três Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e do Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde – Escola GHC. 

18/10/2014

MP aciona Minas e questiona gastos com Saúde


"Em mais uma ação, ajuizada sexta-feira (17) na Justiça de Minas Gerais, Promotoria acusa governo de maquiagem nas contas estaduais entre os anos de 2003 e 2010, durante a gestão de Aécio Neves; de acordo com a ação, R$ 1,3 bilhão da estatal de saneamento Copasa foram inseridos como investimentos na saúde com o objetivo de atingir o percentual constitucional mínimo de 12%; a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) acusa o adversário tucano de deixar de investir R$ 7,7 bilhões na área durante seus dois governos e o tema foi explorado nos últimos debates

Brasil 247

O Ministério Público do Estado de Minas Gerais protocolou na sexta-feira (17) ação contra o governo estadual por uma suposta fraude orçamentária nos gastos na área de saúde entre os anos de 2003 e 2010, época em que o Estado era governado pelo atual senador e candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB). Segundo a ação, o governo promoveu uma maquiagem nas contas da área inserindo R$ 1,3 bilhão em recursos da empresa estatal de saneamento, Copasa, para que fosse atingido o percentual constitucional de 12% a ser investido na área.

17/10/2014

Aécio a Marina: “viu que ela passou mal?”


"Ex-ministra Marina Silva (PSB) telefonou para o candidato Aécio Neves (PSDB) logo depois do debate desta quinta-feira 16, ainda antes de o tucano deixar os estúdios do SBT, em São Paulo; na conversa, Marina questionou a maior agressividade na disputa contra Dilma Rousseff (PT); para Aécio, seria a petista que "optou por esse caminho"; ele ainda perguntou à Marina: "deu o desespero. Viu que ela passou mal no final?"

Brasil 247

A ex-ministra Marina Silva (PSB) telefonou para Aécio Neves (PSDB) logo depois do debate realizado nesta quinta-feira (16) pelo SBT e minutos antes do tucano deixar os estúdios da emissora.

Ela ligou no celular de Walter Feldman, que foi coordenador de sua campanha, e pediu que ele passasse o telefone para o tucano. "Após debate, Marina ligou para Aécio para parabenizá-lo", comentou Feldman, acrescentando que a ex-senadora estava feliz com o desempenho do tucano.

Na conversa, Marina questionou a maior agressividade na disputa contra Dilma Rousseff (PT). Para Aécio, seria a petista que "optou por esse caminho". De acordo com a Folha de S. Paulo, ele ainda falou à Marina: "deu o desespero. Viu que ela passou mal no final?".

O tucano se referia ao fato de que, durante a entrevista feita pela repórter do SBT, Simone Queiroz, a presidente Dilma teve um mal estar e pediu que a entrevista fosse interrompida. Dilma afirmou que sua pressão tinha caído. A petista demonstrou fraqueza, pediu para se sentar e tomou suco de maracujá e água."

16/10/2014

Dados contra Aécio somem do site do TCE


"Durante debate da Band, presidente Dilma Rousseff (PT) acusou o adversário Aécio Neves (PSDB) de não cumprir o mínimo dos repasses na área de Saúde no governo de Minas Gerais e convidou os telespectadores a checar na página do TCE; “No que se refere à Saúde pode-se entrar no site do TCE e lá vai estar claro que o governo de Minas foi obrigado a assinar um termo de ajustamento de gestão e que considerou-se que vocês desviaram em torno de R$ 7,6 bilhões”; em nota, o tribunal afirmou que o site caiu por causa da quantidade de acessos na noite desta terça, mas não confirmou a exclusão de documentos

Brasil 247

Relatórios técnicos sobre as contas do governo de Minas Gerais de 2006 a 2012, que então disponíveis para consulta no site do Tribunal de Contas de Minas Gerais, foram retirados do ar entre a noite de terça-feira e o início da tarde de ontem.

Os dados em questão foram usados pela presidente Dilma Rousseff (PT) contra o adversário Aécio Neves (PSDB), em debate da Band, ao acusá-lo de não cumprir o mínimo dos repasses na área de Saúde. Ela convidou os telespectadores que acompanhavam o debate a checar na página do TCE.

“No que se refere à Saúde pode-se entrar no site do TCE e lá vai estar claro que o governo de Minas foi obrigado a assinar um termo de ajustamento de gestão e que considerou-se que vocês desviaram em torno de R$ 7,6 bilhões”, acusou Dilma. O valor corresponderia aos 12% do orçamento que deveria ter sido destinado.

Em nota, o tribunal afirmou que o site caiu por causa da quantidade de acessos na noite desta terça, mas não confirmou a exclusão de documentos das gestões tucanas."

15/10/2014

É moralmente aceitável um governador colocar dinheiro público em rádios da família?

A peculiar ética do candidato
, DCM

'Gostei muito de Luciana Genro, no primeiro turno, pela sinceridade em suas colocações.

Sinceridade é uma das virtudes que mais me tocam.

Pelo lado inverso, hipocrisia me incomoda terrivelmente. Não conhecia a fundo, antes da campanha, Aécio Neves.

O que mais me aborrece nele é exatamente sua desfaçatez, aliás esplendidamente exposta por Luciana Genro num debate presidencial.

Hoje, por exemplo.

Vejo no site da Folha que o governo de Minas não informa quanto dinheiro colocou em publicidade nas rádios de Aécio.

Alguém aí falou em transparência?

14/10/2014

“Liberdade” da Folha só vale para o Reinaldo. É o jornal da piada pronta


Fernando Brito, Tijolaço  

A demissão de Xico Sá da Folha, por se ver impedido de declarar sua opção eleitoral por Dilma em sua coluna  no jornal é uma honra para o jornalismo brasileiro.

O veto à publicação da declaração de seu voto na coluna que mantinha há anos no jornal – onde militou muito tempo, talvez alguns não saibam, como repórter político, antes de se dedicar às crônicas de futebol e de costumes – só poderia ser aceito por quem fosse desprovido de um mínimo de dignidade, o que sobra a Xico.

O grande público que acompanhou sua participação do programa Extraordinários, durante a Copa do Mundo, sabe que ele, com bom humor e tolerância, jamais se calou diante da absurda tentativa de transformar os “coxismos” em “manifestação popular” e, já ali, dava seus trancos nas manifestações anti-nordestinos que, vemos agora, se tornaram um dos motes da direita.

13/10/2014

Jornalista sugere que Marina "descanse em paz"


"Laura Capriglione decreta a “morte” de Marina Silva no domingo, 12 de outubro de 2014, “depois de lenta agonia”, no dia em que formalizou seu apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves: 'Ela preferiu juntar-se a forças bem conhecidas dos brasileiros: Que criminalizam os movimentos sociais; que atentam contra a liberdade de imprensa; que são apoiadas pela chamada “Bancada da Bala”, por Silas Malafaia e por Marcos Feliciano'

Brasil 247

A jornalista Laura Capriglione decretou aa “morte” de Marina Silva no domingo, 12 de outubro de 2014, “depois de lenta agonia”, no dia em que formalizou seu apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves.

Em seu “tributo”, lembra que foi fundadora da Central Única dos Trabalhadores e organizadora do PT, além de amiga e fraternal companheira do líder seringueiro Chico Mendes. Dentro do campo da esquerda brasileira, diz que foi a representante de uma utopia que tentou conciliar três vetores quase sempre desalinhados: o desenvolvimento econômico, a inclusão social e o respeito ao meio ambiente e às populações tradicionais.

Segundo a jornalista, com o capital eleitoral que conseguiu reunir no primeiro turno, a ex-senadora poderia ajudar sua Rede Sustentabilidade a se consolidar como a tal terceira via de que tanto falou antes. E lamenta: “ela preferiu juntar-se a forças bem conhecidas dos brasileiros: Que criminalizam os movimentos sociais; que atentam contra a liberdade de imprensa; que são apoiadas pela chamada “Bancada da Bala”, por Silas Malafaia e por Marcos Feliciano” (leia mais)."