Globo lucra alto com Copa, mas proíbe pauta positiva

"Emissora oficial do Mundial de Futebol deste ano, a Globo já vendeu cotas de R$ 1,4 bilhão, mas tenta descolar sua imagem do evento, que tem sido alvo de protestos; para jornalistas da rede, TV emitiu comunicado orientando-os a privilegiarem reportagens de denúncias de irregularidades; Globo não quer passar imagem de que é aliada da Fifa, embora o seja; além de transmitir os jogos, TV é licenciadora de mais de 1,7 mil produtos do Mundial; contradição define posição da empresa dos irmãos Marinho

Brasil 247

Emissora oficial da Copa do Mundo de Futebol, a Globo já faturou R$ 1,4 bilhão com a venda das cotas de patrocínio das transmissões de jogos, mas ainda assim a TV emitiu, na semana passada, uma recomendação a todos os jornalistas da rede para que evitem "pautas positivas" do evento. No comunicado, a emissora pede uma cobertura equilibrada do Mundial e afirma que irregularidades devem ser denunciadas. A orientação vale principalmente para os profissionais que trabalham para o Jornal Nacional. Não é a toa que é muito comum ver no principal telejornal da emissora matérias quase diárias sobre atrasos nas obras e aumento nos custos dos estádios.

A informação é do jornalista Daniel Castro, do site Notícias da TV. Segundo ele, reportagens que mostram como a Copa está beneficiando grupos de pessoas, como os comerciantes vizinhos a estádios, já não estão sendo produzidas para o Jornal Nacional. Daniel Castro afirma que "jornalistas da Globo entenderam a mensagem da seguinte forma: não se deve enaltecer a Copa para não passar a mensagem de que a emissora é aliada da Fifa, organizadora do evento".

No entanto, a Globo é sim aliada da Fifa. "Não apenas como detentora dos direitos de transmissão da Copa do Mundo, mas também como licenciadora de mais de 1.700 produtos do evento, que deverão movimentar R$ 2 bilhões no varejo, segundo estimativa da emissora", lembra Castro.

Esta ação da Globo é uma tentativa de evitar possíveis protestos contra a emissora, caso as manifestações que ocorreram no ano passado voltem a ser realizadas, desta vez contra a Copa. Em 2013, foram muitos os protestos contra a TV, em diversas cidades do país, além de equipes de jornalismo terem sido hostilizadas nas grandes manifestações de rua.

No último final de semana, o Brasil 247 já havia apontado esta contradição da Globo. Na matéria "Globo e a Copa: uma mão lucra, a outra apedreja", foi mostrado que a capa mais recente da revista Época, sobre o "risco-Copa", refletia a face política das Organizações Globo: "aos irmãos Marinho, quanto mais protestos, melhor, pois maior será a chance de promover uma mudança no Palácio do Planalto; empresarialmente, no entanto, o jogo da Globo é outro; dona dos direitos de transmissão do Mundial, a emissora viverá em 2014 o melhor ano de sua história graças ao Mundial". Leia mais aqui."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: