Como a Petrobras inunda em óleo seus inimigos

Fernando Brito, Tijolaço  

Você quer entender porque, enfrentando o maior massacre de mídia feito com uma empresa, o preço das ações da Petrobras continua subindo e a empresa tem “valor de mercado” ( número de ações multiplicado por seu valor) quase sete vezes maior que em 2002?

Olhe o gráfico que posto aí em cima com os recordes já alcançados e a projeção de resultados para o final do ano nos campos do pré-sal.
700 mil barris por dia no final do ano!

Porque ainda falta conectar mais de uma dezena de poços, estimando uma produtividade média por poço igual à atingida agora: 28 mil barris diários no pré-sal da Bacia de Santos.

Embora, pela nossa ansiedade de que todo mundo tem de que o pré-sal chegue à sua plenitude, é preciso saber que, em matéria de petróleo, tudo está andando até muito rápido, com a produção atingindo níveis que que, no Mar do Norte ou no Golfo do México, só foram atingidos no triplo do tempo.

E os megacampos de Franco e Libra nem sequer estão produzindo ainda, cada um deles com potencial para chegar a um milhão de barris diários!
Endividada, a Petrobras?

Sim, como toda empresa que atravessa um imenso processo de expansão, que vai ficar numa média de 7,5% em 2014. E que, comparando dezembro de 2013 com dezembro de 2014, uma diferença de perto de 25%.

É isso o que querem destruir, para entregar nosso pré-sal."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: