O factóide do Estadão sobre os Correios


Miguel do Rosário, Tijolaço  

"O Estadão apareceu esta semana com uma denúncia bombástica.

Segundo matéria publicada há dois dias, os Correios abriram uma exceção para a campanha de Dilma enviar milhares de santinhos.

O texto dá a entender que não houve controle da quantidade postada, nem pagamento. E que Dilma foi a única beneficiada.



Um procurador do Ministério Público, hoje, com base nas matérias do Estadão, declarou que pedirá ao Tribunal de Contas da União para investigar o caso. E deu declarações duras:


A denúncia, como infelizmente já virou rotina na imprensa brasileira, sobretudo em período eleitoral, é um factóide.

Toda a acusação se baseia no fato dos Correios ter permitido o envio, pela campanha da Dilma, de correspondência “sem chancela”, ou seja, sem um determinado carimbo.

E que teria havido uma “exceção” beneficiando Dilma.

Mentira.

Em nota, Os Correios asseveram que não há exceção nenhuma. Neste mesmo ano eleitoral de 2014, os seguintes partidos receberam o mesmo tratamento da estatal: PSDB, PMDB, PT, PR, PROS, PTN, PP, PV, DEM, PT do B, PDT, PTN.
E qualquer partido ou campanha pode solicitar as condições de envio de correspondência nos moldes “denunciados” pela matéria.

Vivemos um país curioso.

O único pais do mundo em que o governo é censurado pela imprensa.
Isso é que é liberdade!

A resposta dos Correios aos questionamentos do Estadão foram ignoradas ou escondidas.

Segue a cartinha que os Correios enviaram ao Estadão:

Em relação à matéria “Correios entregam panfletos de Dilma em São Paulo sem registro de controle” (19/07), os Correios esclarecem que não houve nenhum tipo de beneficiamento de candidato específico, nem qualquer irregularidade na entrega de material de campanha eleitoral. A entrega do material citado foi paga à vista.

A entrega de material sem chancela é prevista nas normas dos Correios há vários anos. Neste ano, houve autorização para diversos partidos políticos e candidatos e também para micro e pequenas empresas de vários segmentos. Levantamento parcial demonstra que a entrega de material eleitoral nessas condições foi realizada para candidatos dos seguintes partidos: PSDB, PMDB, PT, PR, PROS, PTN, PP, PV, DEM, PT do B, PDT, PTN.

A falta de chancela não impede o controle da entrega, já que a verificação da quantidade de objetos ocorre no ato da postagem e os procedimentos operacionais seguem a prática da empresa para entrega de objetos sem registro, como cartas simples, por exemplo.

Todos esses dados foram fornecidos ao jornal, inclusive as normas detalhadas, mas, estranhamente, o Estado omitiu as informações."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: