Jornalista sugere que Marina "descanse em paz"


"Laura Capriglione decreta a “morte” de Marina Silva no domingo, 12 de outubro de 2014, “depois de lenta agonia”, no dia em que formalizou seu apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves: 'Ela preferiu juntar-se a forças bem conhecidas dos brasileiros: Que criminalizam os movimentos sociais; que atentam contra a liberdade de imprensa; que são apoiadas pela chamada “Bancada da Bala”, por Silas Malafaia e por Marcos Feliciano'

Brasil 247

A jornalista Laura Capriglione decretou aa “morte” de Marina Silva no domingo, 12 de outubro de 2014, “depois de lenta agonia”, no dia em que formalizou seu apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves.

Em seu “tributo”, lembra que foi fundadora da Central Única dos Trabalhadores e organizadora do PT, além de amiga e fraternal companheira do líder seringueiro Chico Mendes. Dentro do campo da esquerda brasileira, diz que foi a representante de uma utopia que tentou conciliar três vetores quase sempre desalinhados: o desenvolvimento econômico, a inclusão social e o respeito ao meio ambiente e às populações tradicionais.

Segundo a jornalista, com o capital eleitoral que conseguiu reunir no primeiro turno, a ex-senadora poderia ajudar sua Rede Sustentabilidade a se consolidar como a tal terceira via de que tanto falou antes. E lamenta: “ela preferiu juntar-se a forças bem conhecidas dos brasileiros: Que criminalizam os movimentos sociais; que atentam contra a liberdade de imprensa; que são apoiadas pela chamada “Bancada da Bala”, por Silas Malafaia e por Marcos Feliciano” (leia mais)."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: