O “triplex” de Lula era “umplex”. E nem foi entregue…


Fernando Brito, Tijolaço  

Muita gente entrou na polêmica sobre o tal apartamento “triplex” que Lula teria comprado no Guarujá.

Fiquei quieto, porque achei a coisa meio estranha.

Três apartamentos em um, com elevador interno, e o escambau.

Avaliado de “por algo entre R$ 1,5 milhão e R$ 1,8 milhão” pelas Organizações Globo, acho até que Lula tinha o direito de comprar, porque são três apartamentos de R$ 500 a 600 mil, o que em nada é diferente de um apartamento na praia.

É menos do que vale aquele em que morava minha mãe, em Vila Isabel, no Rio, a muitos quilômetros da praia e sem nenhum luxo. Nem uma piscininha ou playground para os netos.

E hoje, em uma nota do Instituto Lula, aparece a verdade.

Lula – na verdade Dona Mariza – tem a cota de um apartamento. Não de um triplex.

Que nem foi entregue ainda.

E o Guarujá não é, assim, propriamente uma Saint-Tropez, nem a Avenue Foche, onde Fernando Henrique comprou um “cafofo”.

A “cascata” global não é inédita: vem desde 2010, no Jornal Nacional.

O “triplex” que a Globo descreve com minúcias, inclusive no ano gasto em reformas: “A família Lula construiu um elevador privativo para levá-los do 16º ao 18º, que no projeto original tinha apenas escadas internas. Lulinha usou também parte do quarto de empregada e um canto da sala para fazer um escritório. Mandou também colocar porcelanato em tudo. A cobertura com piscina também recebeu uma boa área gourmet.”

A solução  salomônica para o processo que, certamente, a família Lula vai mover contra a Globo está evidente.

Lula pede na Justiça à Globo o valor de um triplex, com direito a elevador, porcelanato e espaço gourmet.

A Globo paga, para não ficar como mentirosa: afinal, assim não fica sendo verdade: Lula terá mesmo o apartamento que a Globo disse que ele tinha.
Paga o mico, literalmente.

Aí Lula convida a galera do Sindicato, entra no prédio com um isopor (lembram da foto “escandalosa”?) e ainda convida o Zeca Camargo para gravar a “festa no apê” para Fantástico.

E três minutos judicialmente assegurados para Lula contar como a Globo teve de pagar o triplex para ele, por mentir e inventar histórias.

E mais ainda: trinta segundos para rodar uma gravação do Bezerra da Silva cantando “malandro é malandro, mané é mané”.

E que os Marinho não reclamem: vai dar uns 80% de Ibope, um número que ela não consegue desde que era dona do mundo…

E a Globo experimenta mais um recorde mundial: vai ser o primeiro império de comunicação derrubado pela chacota pública."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: