Trabalhador qualificado? Esqueça, alugue um


Fernando Brito, Tijolaço 

"Nada como fazer algumas perguntas simples, para que as respostas sejam evidentes.

Se não vai haver prejuízos em salário, em recolhimentos trabalhistas (FGTS, Previdência, PIS), nem perda de direitos, nem se vai gerar passivos indenizatórios, como pode ser mais barato e eficiente estabelecer a terceirização como regra do trabalho sob o argumento de que é mais econômica, se além de todos os custos tem-se ainda a remuneração (lucro) do dono da empresa intermediadora da contratação de pessoal?

Lógico que a terceirização, em atividades específicas, especializadas, ou naquelas sem especialização, mas com alta rotatividade (segurança, portaria, recepcionistas, reparos e manutenção, etc) é uma questão prática para as empresas que preferem gastar um pouco mais mas não perderem o foco em sua atividade-fim.

Mas terceirizar a mão de obra em sua atividade fim seria  um total contrassenso.

Mas não é. Porque a lógica é outra.

Imagine, por exemplo, um supermercado onde caixas, repositores, gerentes, açougueiros terceirizados e, portanto, representando um gasto maior de que os salários e encargos, porque tem-se que remunerar o arregimentador de pessoal e ainda pagar os impostos derivados desta contratação.

Ou uma agência bancária? Ou uma escola e seus professores?

O trabalhador terá de se submeter a um espécie de escravidão high-tech , porque não pode mais, ao sair da empresa A, procurar emprego na B ou na C, porque A,B e C, agora, são atendidas pela mesma locadora de trabalhadores.
Esqueça carreira, progressão funcional, reconhecimento de mérito…Afinal, você não é mais funcionário daquela empresa, está apenas alugado a ela.

A locação de mão-de-obra, que ficava nas franjas do mercado, com vários casos de aventureiros, agora vai para o âmago das relações trabalhistas e para os inevitáveis jogos-de-empurra  de responsabilidades em detrimento do trabalhador.

Se vai passar no Congresso? Vai, ao menos na Câmara, vai.

São negócios, e negócio com gente."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: