Inquérito do propinoduto está parado há um ano

"Procurador Rodrigo de Grandis, responsável pelo caso, diz que ainda não protocolou a acusação formal do cartel montado em licitações de trens e metrô em São Paulo, em governos tucanos desde 1998, porque aguarda documentos bancários de autoridades estrangeiras para comprovar crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas; a PF indiciou 33 pessoas no caso, entre elas o ex-presidente da CPTM Mario Bandeira, o ex-gerente de Operações José Luiz Lavorente e os ex-diretores da estatal João Roberto Zaniboni e Ademir Venâncio de Araújo

Brasil 247

O inquérito que investigou o cartel montado em licitações de trens e metrô em São Paulo, em governos tucanos entre 1998 e 2008, está parado há um ano no Ministério Público Federal.

O procurador Rodrigo de Grandis, responsável pelo caso, diz que ainda não protocolou a acusação formal porque aguarda documentos bancários de autoridades estrangeiras para comprovar crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A PF indiciou 33 pessoas no caso, entre elas o ex-presidente da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) Mario Bandeira, o ex-gerente de Operações José Luiz Lavorente e os ex-diretores da estatal João Roberto Zaniboni e Ademir Venâncio de Araújo.

Ainda figuram na lista ex-diretores das empresas Siemens, Alstom, CAF, Bombardier, Daimler-Chrysler, Mitsui e TTrans.

Leia aqui reportagem de Reynaldo Turolho Jr. e Flavio Ferreira sobre o assunto."
Enviar: Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: